Crosby, Stills, Nash & Young – Deja Vu

Crosby,+Stills,+Nash+%26+Young+-+D%C3%A9j%C3%A0+vuNa virada dos anos 60 para os 70 era comum músicos deixarem suas bandas de origem e juntar-se a outros músicos, e assim formar novos “supergrupos”. E se não bastasse, batizavam suas novas bandas com seus sobrenomes, como em grandes corporações industriais ou comerciais.

Aqui está outra banda muito especial para mim, Crosby, Stills, Nash & Young. É uma união fantástica e duradoura, nem sempre lançando discos com os quatro juntos, mas volta e meia sempre acontece alguma parceria entre eles.
Os caras já haviam lançado seu primeiro disco homônimo, sem Neil Young, mas esse “Déjà vu” é fenomenal, maravilhoso e perfeito!! A fusão de rock com folk e country é perfeita, sem falar na combinação de suas vozes, a grande marca de seus trabalhos.
Não há disco no mundo melhor do que esse para escutar em um rancho ou sítio – o verdadeiro “rock rural”.
Até mesmo no Brasil, bandas como Sá, Rodrix e Guarabira também fizeram seu rock rural, tamanha proporção que a música do CSN&Y atingiu naquela época e tomou de assalto o mundo, com uma nova proposta musical. Fizeram sua segunda apresentação como trio, no festival de Woodstock, diante de uma platéia de 400.000 espectadores e o sucesso foi apenas uma conseqüência na carreira desses brilhantes músicos. Em seguida, o canadense Neil Young veio juntar-se ao grupo.
“Carry On”, “4+20”, “Déjà vu” e “Helpless” nos transportam imediatamente para a vida no campo, mesmo que você, sequer alguma vez em sua vida, tenho visto o que é uma bosta de vaca. Tem também queles rocks arrasa-quarteirão como “Almost Cut My Hair” (mais bicho-grilo que esse título não há), “Woodstock” e “Everybody I Love You”.
Destaque todo especial para “Country Girl”, uma música onde a voz com sotaque caipira de Neil Young é apoiada pelas vozes de Graham Nash, David Crosby e Stephen Stills. Esbanja emoção.
Estamos falando de uma época perdida no tempo… uma época em que saber cantar e tocar era fundamental e que estava muito, muito longe de terem o auxílio de programas de computador que corrigiam as vozes. Era tudo feito na raça e com emoção.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: